De tanto sentir já não coube mais em mim então quando fico cheia, escrevo versinhos aqui.

Coração é louco, louca eu sou.
Ele bate desesperadamente assim só porque eu te vi.
Ainda bem que não te tenho
Pois se não ai de mim, ai do meu coração
Que é louco, como louca eu sou.

Ontem eu deixei o amor lá fora.

Se ainda está eu não sei não

Se entrou congelou no meu peito frio

E se fugiu queimou no fogo da solidão.

Canto meus contos, encontros e descontentamentos

Conto a dedo os amores que deixei de canto,

E canto pra mim os encantos que você me faz sentir

Algum dia contar-te-ei sobre isto,

E cantarei a todos os cantos,

Nossos contos, encontros e encantamentos.

Não vejo mais teus olhos

Nem teu cheiro eu sinto

Tua voz é muda ao meu ouvido



Tua ausência é presente e indolor

E será que delinquente eu sou

Por ocultar os vestígios de uma história 

Desfazendo os rastros de um amor ?

Hoje eu subi na árvore pra ver o sol se pôr

enquanto esperava a chegada do amor.

Trás pra perto de ti aquilo que te faz sorrir.

Fazendo o bem o resto vem.

A parte boa da solidão é quando ela chega ao fim.

Vem com teu encanto que pra ti eu canto.

Salga com desprezo e deixa morrer de hipertensão.

Minha rebeldia é na verdade

medo de ceder aos teus encantos.

É obrigação nossa, de ser humano, ser realmente humano.

Rascunho o meu destino e deixo Deus passar a limpo.

Poderia fazer do teu coração, meu lar.

Tatuar-te-ei em meus planos.